C A PAULON

Não me siga estou perdido, mas o pior cego é aquele que nem sanfona toca.

Textos

Amiga
É por não desatarmos o nó
que eu sempre me vejo só.
É porque você muito pouco acredita
que se põe assim tão confusa e aflita.

É porque seu estranho amor não me grita
que você quase sempre escapa e me evita.
E se a fumaça, ao invés de fogo, faz-se pó,
é porque haverá fim sem piedade ou dó.

Haverá sua volta a um limitado modo de vida,
Mas você de mim, por certo, levará a experiência tida
E me restará sempre torcer pelo seu sucesso.

Afinal sua vida, resumindo, não mais me abriga,
o que a fará outra vez tentar um último regresso.
Mas você me terá sempre, mesmo sendo só outra amiga.
CA Paulon
Enviado por CA Paulon em 14/08/2007
Alterado em 14/08/2007
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras