C A PAULON

Não me siga estou perdido, mas o pior cego é aquele que nem sanfona toca.

Textos

Brincando no Parque
A distância da imaginação muito requer.
Da imaginação, facilmente, se tira o que quer.
Por exemplo, agora está longe de mim a mulher,
A mesma que sempre estará comigo onde ela estiver.

Ela está no parque brincando na altura
Que pra mim é agonia e pra ela é aventura,
Onde um céu azul e nublado se lhe faz moldura
Na exata medida que esta minha saudade atura.

Ela está, imagino, sorrindo em alta velocidade,
Que muito sobe e despenca na sua pouca idade
E mesmo assim me faz feliz sua fugaz felicidade.

Quem sabe um dia cesse essa nossa brincadeira?
E ela na minha vida, por fim, se ponha por inteira
E eu entre na dela, sem graça, feito criança arteira.
CA Paulon
Enviado por CA Paulon em 13/08/2007
Alterado em 13/08/2007
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras